Home Reflita
Um não de vez em quando faz bem PDF Imprimir E-mail

O psicologo Paulo Bonfatti afirma que, apesar de toda a modernidade, o processo de romper limites e questionar valores continua igualzinho ao de gerações passadas. "Entretanto, por mais que os filhos esperneiem, no fundo, eles pedem limites. Os pais são a referência , o exemplo. Por diversas vezes, achamos que eles já são maduros o suficiente e não percebemos o quão perdidos se sentem quando não vêem essas referências que, em muitas ocasiões, se fazem presentes através dos limintes estabelecidos. Não é raro observarmos sentimentos de abandono nos filhos cujos pais não se preocupam em exigir atitudes e o cumprimento de regras e normas familiares ou escolares."

Entretanto, antes que tal argumento sirva de desculpa para segurar filhos em casa, é preciso distinguir limite de repressão. Bonfatti explica que "limite é algo que o filho ainda não tem maturidade para fazer. Repressão é alguma coisa mal resolvida para os pais, mas que o filho teria condições de fazer."

Não existe uma idade que determine quando os filhos estão prontos para encarar a vida sozinhos. O amadurecimento é que fixa esta nova fase de transição. O ideal, segundo o psicólogo, é que cada passo de liberdade venha associado a um de responsabilidade. Além disso, é preciso que os pais abram os olhos e vejam que suas crianças cresceram."

Fonte: Tribuna de MInas - JF/MG setor comportamento . Matéria: As crianças cresceram