Home Perguntas e Respostas
PDF Imprimir E-mail


Sobre a avaliação

1 - Por que os pretendentes devem passar por uma avaliação?
R. Para que possam refletir sobre a adoção e que tenham segurança nesse passo tão importante que pretendem dar. Também para que as crianças/adolescentes tenham maiores garantias de que estarão indo para uma família que está preparada para recebê-los da melhor maneira possível.

2 - Quem faz a avaliação?
R. As avaliações são realizadas pelo Assistente Social e pelo Psicólogo da Vara de Infância e Juventude na qual você está inscrito.

3 - Qual é a função do Assistente Social da Vara da Infância e Juventude no processo de adoção?
R . Cabe a ele reunir as informações relacionadas ao ambiente familiar dos candidatos por meio de entrevistas e visitas domiciliares. Compete a este profissional, devidamente habilitado, observar o núcleo familiar em seu próprio meio, conhecendo o espaço que será ocupado pela criança e a reação dos demais membros da família frente à adoção, dentre outros aspectos, que serão avaliados junto com outros profissionais.

4 - Qual é a função do psicólogo da Vara da Infância e Juventude no processo de adoção?
R. Cabe ao psicólogo analisar as motivações que conduzem os pretendentes a desejar adotar. Ele terá o papel de ser um “facilitador” para que apareçam as expressões mais profundas de afetos, temores, expectativas dos candidatos à adoção. Tenderão a não somente verificar se o pretendente se encontra “pronto” para realizar o processo adotivo, mas muito freqüentemente, orienta e aconselha a partir do que consegue compreender de sua “escuta” dos pretendentes.

5 - Como são as avaliações?
R. No caso do assistente social, será, em geral, por meio de visitas domiciliares. Já o psicólogo realizará entrevistas para conhecer melhor o pretendente ou pretendentes, suas motivações, seu preparo interno para levar adiante um processo adotivo, suas possíveis dificuldades, etc.

6.- Quantas entrevistas são realizadas?
R. Depende do profissional. Há situações em que com uma entrevista o profissional se considera satisfeito. Em geral fará algumas entrevistas com o pretendente ou pretendentes. Também dependerá dos entrevistados e do quanto o profissional considerar que precisa conhecer melhor os pretendentes, ou seus motivos, ou a qualidade de sua relação, etc

Sobre o tempo de espera

1 - Quanto tempo dura o processo?
R. Difícil prever prazo. Depende muito das características da criança pleiteada e do lugar que é ocupado pelo pretendente na fila do cadastro. Depende também de ter havido ou não necessidade por parte do profissional que está realizando a avaliação precisar coletar mais dados sobre os pretendentes para chegar a uma conclusão.

2 - Fiz o cadastro, fui habilitada já vou receber a criança?
R. Depende das características da criança desejada, quanto mais restrições maiores tende a ser o tempo de espera. Se o desejo é adotar uma menina branca, recém nascida, provavelmente o(s) pretendente(s) terão de esperar mais de um ano.

3 – Posso recusar a criança/adolescente quando o pessoal técnico da Vara me oferecer?
R. Sim, pode. A criança/adolescente será encaminhada para o próximo da fila.